MaranhãoNotícias

Maranhão avançou na oferta de serviços de oncologia nos últimos 4 anos

Os investimentos na assistência oncológica dispensados pelo Governo do Estado, nos últimos 4 anos, têm proporcionado à população maranhense maiores chances na luta contra o câncer. Tanto na área tecnológica quanto na abordagem multidisciplinar especializada, as unidades da rede estadual de saúde têm garantido o acesso a tratamento eficaz e humanizado. A perspectiva é que os avanços continuem nos próximos anos.

“Expandimos a oferta do tratamento para Imperatriz e Caxias, pactuamos com o Governo do Piauí para atendimento da população de Timon, investimos na melhora dos serviços em São Luís e, ainda, ofertamos programas de residência multiprofissional em oncologia. Essas iniciativas foram essenciais para aumentar a qualidade do cuidado aos pacientes e para salvarmos vidas”, analisa o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Um dos marcos dos avanços nesse setor foi a entrega da Unidade de Oncologia do Hospital Regional de Caxias Dr. Everaldo Ferreira Aragão, em 2018. Equipada com 14 leitos para oncologia clínica, 12 para cirúrgica e quatro leitos para cuidados paliativos, atende a demanda por tratamento especializado em câncer de 40 municípios.

De março a dezembro de 2018, a unidade realizou 858 sessões de quimioterapia, 2.863 consultas com médicos especializados, 745 internações, 200 cirurgias e 3.026 atendimentos com equipe multiprofissional em pacientes em tratamento de câncer.

“A inauguração desse serviço foi muito importante para a região, principalmente porque a população precisava procurar o Piauí em busca de tratamento. Eles enfrentavam dificuldade nesse processo. Com o serviço em Caxias, temos tanto o diagnóstico quanto o tratamento mais rápido para quem precisa”, comenta o diretor geral do Hospital Regional de Caxias, Jefferson Franklin Almada Coutinho.

O hospital, que atende o leste maranhense, passará a oferecer o exame de mamografia em breve. O exame é eficaz para o rastreamento precoce e diagnóstico do câncer de mama. O equipamento será instalado até o final deste semestre.

Mais avanços

A descentralização do serviço de oncologia no Maranhão começou por Imperatriz, ainda em 2015, quando o Governo do Estado firmou convênio com a clínica particular Oncoradium, especializada em radioterapia. A iniciativa garantiu atendimento para os pacientes em sua própria região. Antes, era preciso ir para São Luís para realizar as sessões do tratamento.

Outro convênio em Imperatriz, desta vez com o Hospital São Rafael, levou à implantação da Unidade de Oncologia Pediátrica, com 12 leitos para oncologia pediátrica clínica, cinco para a cirúrgica e dois leitos de UTI. A unidade atende crianças e jovens de 0 a 18 anos e 11 meses das regiões de saúde de Imperatriz, Balsas, Barra do Corda e Açailândia.

Já na capital maranhense, a rede assistencial de oncologia da SES conta com o Hospital de Câncer do Maranhão e Unidade de Especialidades Odontológicas do Maranhão (Sorrir). O primeiro passou a atender exclusivamente pacientes oncológicos depois que a SES entregou à população o Hospital de Traumatologia e Ortopedia (HTO) – o Hospital de Câncer mantinha uma ala ortopédica até então.

O Sorrir, por sua vez, é a referência estadual para o diagnóstico precoce do câncer de boca, quinto tipo de câncer mais comum entre os homens e sétimo entre as mulheres no Brasil.

Perto do hospital, a SES também inaugurou a Casa de Apoio do Hospital de Câncer do Maranhão, dedicada a acolher pacientes e acompanhantes que moram em outros municípios e fazem tratamento em São Luís. Com 26 leitos, conta com refeitório, área de vivência, cozinha, banheiros, sala de TV, sala de leitura, sala de estar e área administrativa, com área de repouso para técnicos.

Além disso, está em construção atrás do Centro de Saúde Genésio Rêgo, na Vila Palmeira, o bunker que abrigará o acelerador linear para radioterapia do Hospital de Câncer do Maranhão.

Além das iniciativas de qualificação e expansão do atendimento, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) investe em prevenção, com a realização de campanhas educativas e estímulo a adoção de hábitos de vida saudável.

“Ao fazermos um balanço nesta segunda-feira, Dia Mundial de Combate ao Câncer, podemos ver que avançamos muito na assistência aos pacientes oncológicos maranhenses. Não vamos medir esforços para ampliar ainda mais esses serviços. É um desafio que encaramos com muita seriedade”, completa Carlos Lula.

Mostre mais

Artigos relacionados