NotíciasPolícia

Homem é preso e confessa assassinato de duas mulheres em São José de Ribamar

Marcos Vinícius Rocha já havia sido preso por estupro há 15 anos e tem sinais de que pode ser um serial killer.

O corpo da segunda vítima, encontrado no dia 8 de dezembro de 2018, ainda não foi identificado, mas o resultado de exames de DNA devem sair na próxima semana. Ambos os corpos estavam despidos, perto da estrada antiga de Juçatuba, em São José de Ribamar. Marcos nega os estupros e diz que as relações foram consentidas e que está sendo apurado.

Aridelma de Fátima Oliveira Bezerra foi morta em matagal na Região Metropolitana de São Luís — Foto: Divulgação/Polícia Civil do Maranhão
Aridelma de Fátima Oliveira Bezerra foi morta em matagal na Região Metropolitana de São Luís — Foto: Divulgação/Polícia Civil do Maranhão

Diante do atual estágio das investigações, a Polícia Civil agora trata o caso como de um assassino em série. Marcos Vinícius já foi condenado por tentativa de estupro em 2004, na cidade de Viana. Por isso, a polícia acredita que ele pode ter feito outras vítimas na cidade ou em São Luís, onde mora há cinco anos.

“Não descartamos que existam mais vítimas, não descartamos essa possibilidade. Pedimos, inclusive, muita atenção na baixada maranhense porque a condenação dele foi por estupro na cidade de Viana e pode ser que ele tenha feito mais vítimas de estupro na região, e também na região da Cidade Olímpica e adjacências, em São Luís, pois nós descobrimos que a primeira vítima também era daquela região”, afirmou a delegada chefe do departamento de feminicídio, Viviane Azambuja.

O preso disse que levou a primeira vítima até o matagal de bicicleta e que a segunda foi de mototáxi. Segundo a polícia, antes de ter confessado o crime, vários elementos já ligavam uma morte à outra, inclusive marcas dos golpes de faca.

“Apareceram semelhanças do modus operandi, semelhança entre os vestígios encontrados no dia 8 de dezembro de 2018 com vestígios encontrados no dia 5 de fevereiro de 2019”, afirmou o diretor do Instituto de Criminalística, Robson Mourão.

Após ser apresentado, Marcos Vinícius voltou para o Centro de Triagem de Pedrinhas, em São Luís, onde está desde o início de março.

Por:G1MA

Mostre mais