NotíciasPolícia

Justiça condena jovem que matou testemunha antes de ela prestar depoimento

Foi condenado a 24 anos e 6 meses de prisão jovem acusado de matar testemunha no dia em que ia depor. A motivação para o crime está relacionado a briga de gangues, de acordo com a acusação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). O rapaz foi condenado, pelo Tribunal do Júri do Recanto das Emas, a detenção em regime fechado, por homicídio qualificado. O crime ocorreu em outubro de 2010. O réu, que já está preso, não poderá recorrer em liberdade.

Os jurados acolheram as três qualificadoras defendidas pelo MP: emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima (o réu surpreendeu a vítima pelas costas, enquanto ela cortava o cabelo); motivo torpe (o crime foi cometido por guerra entre gangues); e o acusado matou a vítima para ocultar outro crime.

Entenda o caso

De acordo com a denúncia do Ministério Público, em 3 de outubro de 2010, o acusado e o irmão efetuaram disparos contra quatro rapazes, entre eles a vítima. O motivo seria a guerra entre gangues na região do Recanto das Emas. Por esse crime, o réu foi condenado a 47 anos e 8 meses de reclusão. A sentença transitou em julgado.

Nos dias seguintes ao crime, o réu e o irmão começaram a ameaçar os jovens e seus familiares quando souberam que eles prestariam depoimentos à polícia. No dia em que estava agendado o depoimento da vítima, o acusado cumpriu as ameaças e a matou com disparos de arma de fogo.

 

correiobraziliense

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mostre mais