EsporteNotícias

Cruzeiro atropela o Atlético-MG e fica perto da classificação

Vitória larga do Cruzeiro no “1º tempo”

Cruzeiro e Atlético começaram, nesta quinta-feira, a disputa por uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil 2019. E no “primeiro tempo” do clássico, disputado no Mineirão, só deu Cruzeiro. O time celeste passou por cima do rival, fez 3 a 0 – com gols de Pedro Rocha, Thiago Neves e Robinho – e deu um largo passo rumo à classificação. O Galo errou demais na Pampulha e terá que vencer por três gols de diferença na próxima quarta-feira, no Independência, para levar a decisão para os pênaltis.Melhores momentos de Cruzeiro 3 x 0 Atlético-MG pelas quartas de final da Copa do Brasil

Primeiro tempo

A primeira metade do jogo começou até com certo equilíbrio. O Atlético tinha a posse de bola, mas parava na boa marcação do Cruzeiro, que também não ameaçava muito. Pedro Rocha, no talento individual, mudou esse roteiro com um golaço, de fora da área, aos 12 minutos. O time de Mano Menezes, a partir daí, montou a armadilha perfeita: recuou, marcou bem e esperou o erro do rival. Ele aconteceu aos 25 minutos, quando Pedro Rocha (de novo ele!) recuperou uma bola no meio-campo, disparou sozinho para o ataque, driblou o goleiro Victor e rolou para Thiago Neves ampliar o placar: 2 a 0. O placar permaneceu até o intervalo.

Surpresa positiva!

A escalação do Cruzeiro, divulgada uma hora antes de a bola rolar, teve uma surpresa: Mano Menezes deixou Fred no banco e optou pela escalação de Pedro Rocha. Deu mais do que certo. Deu super certo! O camisa 32 fez uma grande partida e foi o principal jogador do Cruzeiro em campo, especialmente no primeiro tempo. Com 12 minutos, fez uma linda jogada e marcou um golaço de fora da área. Com 25, aproveitou vacilo da zaga adversária, carregou o Cruzeiro para o ataque e deu o famoso passe “faz e me abraça” para Thiago Neves marcar. Mano Menezes, certamente, está orgulhoso de sua decisão.

Segundo tempo

Rodrigo Santana, treinador do Atlético, promoveu, já no intervalo, a entrada de Otero. O venezuelano entrou com ímpeto e tornou o time alvinegro um pouco mais agressivo, mas o Cruzeiro não se abalou. Pelo contrário. Seguiu muito bem postado em campo e armado para aproveitar os erros do rival. E mais uma falha aconteceu. Aos nove minutos, Elias saiu jogando errado, Marquinhos Gabriel roubou a bola e entregou para Robinho. Ele chutou, foi bloqueado, mas na segunda tentativa marcou o terceiro gol do Cruzeiro. O 3 a 0 foi sacramentado ali, já que o time celeste passou a controlar mais a bola e deixar o tempo passar, enquanto o Atlético, desesperado, se lançou com tudo para o ataque em busca do gol de honra. Sem sucesso. A vitória maiúscula do Cruzeiro se confirmou.

Erros individuais custam caro…

O Atlético, derrotado no clássico desta quinta-feira, sofreu muito com erros individuais. Elias foi vítima de um lindo drible de Pedro Rocha no primeiro gol e perdeu a bola no lance do terceiro; Victor falhou no gol de Robinho, quando deixou o gol aberto; Fábio Santos teve uma série de falhas pela esquerda; Chará não levou a melhor em praticamente nenhuma disputa com os marcadores. Isso só pra citar alguns… O Cruzeiro, esperto, se aproveitou muito bem disso e abriu a larga vantagem no clássico.

Fonte:Globoesporte

Mostre mais