NotíciasPolítica

Jorge Kajuru defende reforma tributária para combater a desigualdade no País

A crise econômica que o País tem atravessado nos últimos anos afetou a renda dos brasileiros, o que elevou o percentual de famílias entre as classes mais mais pobres da população, disse na semana passada em plenário o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO). Para ele, é preciso uma reforma tributária para desonerar o consumo e diminuir a carga de impostos sobre a população de baixa renda.

Kajuru citou dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ). De acordo com a POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares), que abrange os anos de 2017 e 2018, aumentou a desigualdade social e o número de pessoas em situação de miséria.

“A Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE nos ajuda a entender que há um componente de injustiça social na excessiva tributação embutida nos preços de mercadorias e serviços. As famílias mais pobres destinam 93% de sua renda ao consumo. As mais ricas, 66%. Não podemos pensar em reforma tributária sem considerar aspectos distributivos. A equação é simples: só não entende quem não quer, ou é ignorante, ou é 171. Só vamos conseguir reduzir a gigantesca desigualdade que caracteriza o Brasil quando houver taxação mais progressiva de salários, lucros e ganhos financeiros”, disse.

O parlamentar lembrou que a POF começou a ser feito na década de 1980, com o objetivo de mapear um perfil dos hábitos de consumo e das condições de vida do brasileiro. A pesquisa teve como base o Estudo Nacional de Despesa Familiar, realizado nos anos 1970. Os dados, observou Kajuru, também são usados como parâmetro para outras pesquisas do IBGE, como o cálculo da inflação e do PIB (Produto Interno Bruto), assim como para estudos sobre desigualdade social. (Agência Senado)

Mostre mais