BrasilNotíciasPolítica

Bolsonaro critica Papa por post sobre a Amazônia: ‘É nossa’

Papa Francisco postou mensagem na qual disse que Amazônia 'também é nossa'. Presidente comentou afirmação nesta quinta-feira durante transmissão ao vivo em rede social.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (13) em uma rede social que “a Amazônia é nossa” ao comentar uma mensagem publicada pelo Papa Francisco nesta quarta.

Também em uma rede social, o Papa publicou nesta quarta (12) a seguinte mensagem: “Dirijo esta exortação ao mundo inteiro, para ajudar a despertar a estima e solicitude pela Amazônia, que também é «nossa»”.

Segundo Bolsonaro, “a Amazônia é nossa. Não é como o Papa tuitou ontem, não, tá?”

O Papa também escreveu: “Sonho com uma Amazônia que lute pelos direitos dos mais pobres, dos povos nativos, dos últimos, de modo que a sua voz seja ouvida e sua dignidade promovida. #QueridaAmazonia”.

Nesta quinta, o Papa Francisco recebeu no Vaticano o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas Bolsonaro não comentou o encontro.

Na transmissão desta quinta-feira, Bolsonaro mencionou o Conselho Nacional da Amazônia Legal e afirmou que o objetivo é mostrar ao mundo há preocupação com a região.

“Foi criado nesta semana um conselho que visa proteger, preservar e desenvolver nossa Amazônia, o que é muito importante, adotar medidas preventivas contra qualquer ação que não esteja de acordo com as leis brasileiras. […] E mostrar para o mundo que estamos preocupados com a Amazônia, a Amazônia é nossa. Não é como o Papa tuitou ontem, não, tá?”, afirmou o presidente.

“A Amazônia é nossa e queremos preservá-la e fazer com que possamos ser beneficiados com os recursos de forma sustentável”, acrescentou Bolsonaro.

Para Bolsonaro, incluir governadores no conselho da Amazônia 'não resolveria nada'
Para Bolsonaro, incluir governadores no conselho da Amazônia ‘não resolveria nada’

 

Conselho da Amazônia

Bolsonaro assinou um decreto nesta terça (11) para transferir o Conselho da Amazônia do Ministério do Meio Ambiente para a Vice-presidência.

O decreto do presidente excluiu do grupo os governadores dos estados da Amazônia Legal. Segundo Bolsonaro, incluir os governadores “não resolveria nada”, mas, mesmo assim, eles serão consultados.

Integram a Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e Maranhão.

A reativação do conselho foi anunciada em meio às diversas críticas de ambientalistas e líderes internacionais sobre a política ambiental do governo Bolsonaro.

No primeiro ano de governo, Bolsonaro colecionou polêmicas com líderes de França, Noruega e Alemanha (clique no nome do país para relembrar o caso).

No mês passado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, viajou para Davos (Suíça) para participar do Fórum Econômico Mundial e, segundo o colunista do G1 e da GloboNews Valdo Cruz, foi alertado que investidores poderiam deixar de aplicar recursos no Brasil se não houvesse um ajuste na política ambiental.

 

 

Fonte:G1

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar