NotíciasPolítica

Eduardo Bolsonaro defende insulto do pai e manda deputadas ‘rasparem o sovaco’

Parlamentares fizeram ato em defesa de repórter da Folha, e filho do presidente mandou 'banana'

Um grupo de deputadas federais, a maioria de partidos de esquerda, fez nesta terça-feira (18) no plenário da Câmara um ato de repúdio às declarações ofensivas do presidente Jair Bolsonaro contra a repórter da Folha Patrícia Campos Mello.

Em reação à manifestação das deputadas, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que usou suas redes sociais para espalhar as mentiras ditas pelo ex-funcionário da Yacows na CPMI, subiu à tribuna acompanhado de deputadas aliadas, como Major Fabiana (PSL-RJ), e mandou “uma banana” dizendo ser “em nome das mulheres”.

“Em nome das mulheres, uma banana. Uma banana”, disse, repetindo na tribuna da Câmara gesto feito pelo pai em direção a jornalistas. “Não vão nos calar. [deputados gritam fascista]. Pode gritar à vontade, mas só raspa o sovaco se não dá um mau cheiro do caramba.”

Boa parte do discurso de Eduardo ocorreu sob o coro de “fascista”, entoado por parlamentares de oposição.

Reunidas na tribuna e na mesa do plenário, as deputadas leram um manifesto em que declaram “total repúdio à declaração do presidente da República Jair Bolsonaro sobre a jornalista Patrícia Campos Mello, ao dizer que ‘ela queria um furo, ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim”.

Deputadas manifestam apoio a jornalista da Folha em ato na Câmara
Deputadas manifestam apoio a jornalista da Folha em ato na Câmara – Mariana Carneiro/Folhapress
A fala ofensiva do presidente foi uma referência ao depoimento de um ex-funcionário de uma agência de disparos de mensagens em massa por WhatsApp, dado na semana passada à CPMI das Fake News no Congresso.

“A declaração absolutamente desrespeitosa e incompatível com a postura de um presidente da República se referia à contada pelo ex-funcionário da empresa Yacows durante depoimento prestado à CPMI das Fake News, de que a jornalista teria oferecido favores sexuais em troca de informações”, discursaram as deputadas.

Foram à tribuna, entre outras, Luiza Erundina (PSOL-SP), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Maria do Rosário (PT-RS). A nota foi lida por Fernanda Melchiona (PSOL-RS).

 

 

Fonte:Folha.uol

Mostre mais

Artigos relacionados

Fechar