Unidades da rede estadual de saúde têm realizado atividades de capacitação para os profissionais que vão atender pacientes suspeitos ou diagnosticados com o Covid-19. No Hospital Macrorregional Tomás Martins, em Santa Inês, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas, que serão responsáveis pela assistência direta a esses pacientes, participam, no período de 24 a 27 de março, de treinamento de manobra de posição Prona, de acordo com recomendações do protocolo de intervenção em insuficiência respiratória aguda.

Participam do treinamento 13 fisioterapeutas, 30 técnicos de enfermagem e 10 enfermeiros que atuam na UTI do hospital. O protocolo inclui medidas preventivas, etapas de admissão do paciente, indicação da posição correta de atendimento, de forma a garantir segurança para o paciente e profissional de saúde, como explica Anna Géssica Ximenes, fisioterapeuta e supervisora multiprofissional da unidade de saúde.

“O documento trata dos procedimentos da assistência ventilatória nos pacientes com insuficiência respiratória aguda na Covid-19 internados na UTI do hospital. Por ser um vírus novo, a gente estuda diariamente atualizando os protocolos”, explicou Anna Géssica, reforçando a importância do treinamento.

A posição Prona é uma manobra utilizada para combater a hipoxemia (insuficiência de oxigênio no sangue) em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo. O principal efeito fisiológico é a melhora da oxigenação, comprovada em 80% dos pacientes com Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA), que é um dos principais efeitos da manifestação da doença Covid-19.

“A pronação do paciente deve ser feita após ventilação mecânica e o procedimento diminui fatores que contribuem para o colabamento alveolar, a redistribuição da ventilação alveolar e a redistribuição da perfusão”, complementou a fisioterapeuta.

Capacitações 

A equipe do Macrorregional de Santa Inês, unidade de saúde gerenciada pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), é referência para 18 municípios da região do Vale do Pindaré. O hospital já tem definido o fluxo de atendimento em conformidade com os protocolos do Ministério da Saúde e Governo do Estado, que inclui o uso racional dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) e medidas de precaução de contato.

Diariamente, a equipe tem sido capacitada sobre a lavagem correta das mãos, promovido simulação sobre a entrada de paciente com suspeita de Covid-19 na unidade de saúde e etapas de coleta de exames microbiológicos para pesquisa da doença.

“As capacitações integram o Plano de Contingência do Governo do Estado. Estamos nos preparando para receber possíveis casos de pacientes suspeitos ou diagnosticados com o Coronavírus e teremos 2 leitos de isolamento na UTI do hospital”, finalizou a diretora administrativa do Macrorregional, Thayse Bastos.