Eles são a única esperança para a grande parte dos pacientes gravemente afetados pelo novo coronavírus. No entanto, nem os países mais ricos estão totalmente equipados com a quantidade de respiradores que o combate à pandemia tem demandado. Assim como soluções caseiras surgiram como alternativas para as máscaras cirúrgicas, soluções de baixo custo tem surgido para a falta de respiradores nos hospitais.

Dessa vez, um grupo de maranhenses de Imperatriz, segunda maior cidade do Maranhão, criou um ventilador mecânico que pode auxiliar pacientes com dificuldades de respirar. Segundo Marcos Vasconcelos, desenvolvedor desse ventilador, o equipamento sai por R$ 5 mil — bem mais barato que os R$ 70 mil que o Brasil gasta por cada respirador importado da China.

A equipe de imperatrizenses que projetou o ventilador foi composta por médicos intensivistas, anestesistas, otorrinolaringologistas, fisioterapeutas, cardiologistas e técnicos em manutenção de ventiladores mecânicos, que auxiliaram com informações sobre parâmetros técnicos, limites de controle, pontos de atenção e da prática clinica na utilização do aparelho.

O projeto foi coordenado pelo empresário Marcos Vasconcelos, e já passou por testes de laboratório e em ambiente hospitalar com o uso de pulmão artificial. Segundo o empresário, o projeto atendeu todas as recomendações e exigências médicas para funcionar.

Maranhenses criam respirador de baixo custo para pacientes com Covid-19
Maranhenses criam respirador de baixo custo para pacientes com Covid-19

“Você não vai acreditar, mas nunca me passou no pensamento trabalhar com isso. Eu tenho formação em administração de empresas. Mas meu coração pulsa no desenvolvimento, na criação do que não existe ou na forma diferente de fazer o que já existe”, explicou Marcos.

Apesar do aparelho ter sido validado em sua função, há a necessidade de certificação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que o aparelho possa ser implementado. O projeto também precisa de autorização para testes em pacientes reais.

“Eles pedem um protocolo de ensaio e a avaliação de um conselho de ética para receber a solicitação de testes. É nisso que estamos agora. Isso é bem burocrático. Se pudéssemos ter alguém que ajudasse nisso ou universidade que cuidasse disso para nós seria um acelerador para o processo”, disse Marcos.

Coronavírus no Maranhão
O Maranhão ultrapassou as 400 mortes por Covid-19, nesta segunda-feira (11), e chegou a 423 óbitos pela doença, de acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). O estado tem agora 8.526 infectados pelo novo coronavírus e 1806 estão curados.

Segundo a secretaria, nas últimas 24h foram confirmados 382 casos e 24 mortes foram registradas, sendo 21 em São Luís e as outras em São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. Informações sobre idades, sexo e comorbidades das vítimas não foram divulgadas pela SES.