247 – Reportagem da Folha de S.Paulo informa que o ex-policial Adriano da Nóbrega, morto em 9 de fevereiro na Bahia, chamado de herói pelo presidente Jair Bolsonaro e ligado ao gabinete de seu filho Flávio, tinha suas contas pessoais e de familiares pagas por membros de uma milícia.

A revelação consta em documentos apreendidos pelo Ministério Público do Rio de Janeiro.

O herói do clã Bolsonaro esteve foragido por mais de um ano até o mês passado, quando foi morto durante uma operação policial na Bahia.

Informações da Folha de S.Paulo